O Outubro é rosa mas a vida tem mais de mil cores!

E em jeito de dar notícias me ponho a projetar umas quantas palavras que vão aqui dentro do coração.❤️

Como doente oncológica, ainda em tratamento, me sinto no dever de lembrar, todos os anos, do movimento conhecido como Outubro Rosa que nasceu nos Estados Unidos, na década de 90, com o objetivo de estimular a participação da população no controlo do cancro da mama.


A data é celebrada anualmente com o objetivo de promover a consciencialização sobre a doença e partilhar informações sobre o cancro de mama. Um pouco por todo o mundo, durante este mês, a cor rosa alastra-se com o objetivo sensibilizar a população para a temática da prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama.

Tudo muito lindo e cor de rosa, mas se a nossa atitude terminar nas partilhas de posts incríveis nas redes sociais, a falar de um mundo perfeito sem cancro, de nada valerá o esforço!

Temos que cuidar no nosso corpo, não só em Outubro!… há outros onze meses para não descurar, e todos os dias são dias para amarmos e cuidarmos de nós: autoexame, visitas ao médico com regularidade, uma vida feliz e positiva com alimentação equilibrada e exercícios fisicos são segredos (que não é segredo nenhum) para uma vida saudável e feliz.


Assim tem sido comigo, continuo sendo vista de lupa e tratando de fazer a minha parte, amo e cuido do meu corpo… as mazelas existem, algumas delas jamais deixarão de existir, mas estou quase PRO em conviver com elas! 😉 Sinto-me saudável e capaz, meu corpo respondendo cada dia melhor, e já quase consigo experimentar a normalidade 😁

OK ok… Uma normalidade condicionada, afinal também é tempo de COVID-19. 🙄

… e como é tempo de vírus avassalador, não posso deixar de fazer um balanço sobre esta nossa nova, insegura e estranha vida com o COVID-19.


Sim… É tempo de pandemia, mas na minha opinião a doença que aflige o Humano não é só o vírus que tanto tememos… infelizmente, observo uma mudança no comportamento das pessoas que talvez me aflija muito mais do que o vírus que nos invade vida adentro.

Acho que o distanciamento e a falta de afeto entre as pessoas têm trazido outras quantas mazelas gravíssimas para o ser humano. O distanciamento está destruindo a empatia, a gentileza, a humanidade… Sinto-nos cada dia mais robóticos e automatizados na nossa maneira de ser e estar neste mundo maluco e desconhecido.


A ansiedade tem trazido à tona o instinto de sobrevivência mais primário que já vi acontecer, ‘vamos lá viver e deixar morrer, porque agora é cada um por si!’
E eu sempre soube o quanto o humano é egoísta… Aprendi esta lição amarga ao longo da vida sendo como sou, sem saber como ser diferente…pensar no outro, muitas vezes em detrimento do pensamento em mim própria, é, com certeza a característica que mais me traz frustrações. Por mais que eu saiba que a frustração é o fruto mais amargo da minha própria expectativa nunca deixo de ter esperança de que as pessoas reconheçam que as minhas atitudes estão repletas de bondade e afeto… Eu, de fato, não sei estar num mundo sem amor.

E observo, desde sempre, este comportamento a se agravar e o vírus é só uma alavanca para potenciar aquilo que sempre existiu.

Estamos cada vez mais a viver no nosso mundo paralelo, fingindo que interagimos através das redes sociais mas continuando sozinhos quando acabamos com a bateria do telemóvel. Esta solidão patológica tem tornado o humano cada dia mais imune às dores do outro, nos aproximando, cada dia mais, dos metais frios e duros dos robôs que habitam as história de futuro que eu lia quando criança…

Estas eram as histórias mais aterrorizantes que lia, me arrepiava imaginar humanos totalmente racionais, evoluídos e inteligentes… Mas… Sem corações a palpitar por dentro! Sem a emoção e o sentimento que nos trazem a humildade de nos colocar no lugar do outro, de sentir as suas dores e alegrias, de compreender verdadeiramente e, assim, conseguir ajudar.

Vejo a humanidade a viver em seus casulos sem a deliciosa sensação (que eu conheço muito bem) da esperança de sair lá de dentro uma versão melhorada, mais colorida, vaporosa, feliz!

Que tristeza! 😔

Triteza para quem não sente como eu sinto! 😁

Daí eu lembro que não estou aqui para ser triste, embora me entristeça o que estamos vivendo, não descuro da característica que me define como a borboleta que sou!


Por piores que sejam os momentos que vivo nunca me esqueço que a vida é feita de um dia de cada vez, já estive trancada em alguns casulos que me afligiram mas a desesperança nunca morou lá dentro comigo, eu sempre soube, sempre sei que vou sair dali ainda mais feliz, ainda mais colorida, ainda mais humana.

Por isso, jamais, um Casulo será um mal lugar para estar, o crescimento faz parte deste processo e me sinto cada vez maior quando as asas secam e eu consigo voar…

E hoje, especificamente hoje 😁, senti as minhas asas bem secas e prontas para alçar vôos maiores e ainda mais rasantes e atrevidos.
Hoje uma alegria se apoderou de cada um dos meus poros me fazendo arrepiar de felicidade e confiança no futuro.
Hoje me senti livre e liberta de amarras negativas que me deixaram um pouco cinzenta durante uns anos.
Hoje me sinto completamente colorida… Tal e qual como a mãe borboleta de um livro infantil, uma personagem, mãe, pincelada nas cores mais vibrantes da minha paleta de aguarelas.


Hoje consegui me sentir inteira de novo, e feliz, e com muita vontade de dançar 😀.

Aos meus amigos e familiares que se preocupam comigo deixo aqui registada a noticia de que mais uma tempestade passou em minha vida, acordei de um sonho que se transformou em pesadelo e estou com aquela sensação deliciosa de missão cumprida. Sem as amarras e o desgosto de dever alguma coisa a alguém! Está tudo pago, e muito mais que pago! 😁

Agora é continuar a minha trajetoria que foi um pouco desviada, mas que agora toma a forma que sempre sonhei… Agora é continuar a ser feliz, torcendo para que as pessoas que têm me feito mal sejam beemmm felizes também 😀 Afinal, gente feliz não enche o saco 😂… E o universo trata de colocar as pessoas nos seus devidos lugares, e o meu lugar eu sempre soube, e nunca erro a morada: voando nos céus pintando nuvens com as cores do arco-íris.

Deixo então o meu beijinho de borboleta e o desejo sincero de que a cor rosa se transforme em atitude e que o ser humano consiga se desvencilhar rapidamente destas ‘armaduras’ contra o amor e o afeto! ❤️

Vera Ximenes

A liberdade é deliciosa! 💕🙏 GRATIDÃO