O Outubro é rosa mas a vida tem mais de mil cores!

E em jeito de dar notícias me ponho a projetar umas quantas palavras que vão aqui dentro do coração.❤️

Como doente oncológica, ainda em tratamento, me sinto no dever de lembrar, todos os anos, do movimento conhecido como Outubro Rosa que nasceu nos Estados Unidos, na década de 90, com o objetivo de estimular a participação da população no controlo do cancro da mama.


A data é celebrada anualmente com o objetivo de promover a consciencialização sobre a doença e partilhar informações sobre o cancro de mama. Um pouco por todo o mundo, durante este mês, a cor rosa alastra-se com o objetivo sensibilizar a população para a temática da prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama.

Tudo muito lindo e cor de rosa, mas se a nossa atitude terminar nas partilhas de posts incríveis nas redes sociais, a falar de um mundo perfeito sem cancro, de nada valerá o esforço!

Temos que cuidar no nosso corpo, não só em Outubro!… há outros onze meses para não descurar, e todos os dias são dias para amarmos e cuidarmos de nós: autoexame, visitas ao médico com regularidade, uma vida feliz e positiva com alimentação equilibrada e exercícios fisicos são segredos (que não é segredo nenhum) para uma vida saudável e feliz.


Assim tem sido comigo, continuo sendo vista de lupa e tratando de fazer a minha parte, amo e cuido do meu corpo… as mazelas existem, algumas delas jamais deixarão de existir, mas estou quase PRO em conviver com elas! 😉 Sinto-me saudável e capaz, meu corpo respondendo cada dia melhor, e já quase consigo experimentar a normalidade 😁

OK ok… Uma normalidade condicionada, afinal também é tempo de COVID-19. 🙄

… e como é tempo de vírus avassalador, não posso deixar de fazer um balanço sobre esta nossa nova, insegura e estranha vida com o COVID-19.


Sim… É tempo de pandemia, mas na minha opinião a doença que aflige o Humano não é só o vírus que tanto tememos… infelizmente, observo uma mudança no comportamento das pessoas que talvez me aflija muito mais do que o vírus que nos invade vida adentro.

Acho que o distanciamento e a falta de afeto entre as pessoas têm trazido outras quantas mazelas gravíssimas para o ser humano. O distanciamento está destruindo a empatia, a gentileza, a humanidade… Sinto-nos cada dia mais robóticos e automatizados na nossa maneira de ser e estar neste mundo maluco e desconhecido.


A ansiedade tem trazido à tona o instinto de sobrevivência mais primário que já vi acontecer, ‘vamos lá viver e deixar morrer, porque agora é cada um por si!’
E eu sempre soube o quanto o humano é egoísta… Aprendi esta lição amarga ao longo da vida sendo como sou, sem saber como ser diferente…pensar no outro, muitas vezes em detrimento do pensamento em mim própria, é, com certeza a característica que mais me traz frustrações. Por mais que eu saiba que a frustração é o fruto mais amargo da minha própria expectativa nunca deixo de ter esperança de que as pessoas reconheçam que as minhas atitudes estão repletas de bondade e afeto… Eu, de fato, não sei estar num mundo sem amor.

E observo, desde sempre, este comportamento a se agravar e o vírus é só uma alavanca para potenciar aquilo que sempre existiu.

Estamos cada vez mais a viver no nosso mundo paralelo, fingindo que interagimos através das redes sociais mas continuando sozinhos quando acabamos com a bateria do telemóvel. Esta solidão patológica tem tornado o humano cada dia mais imune às dores do outro, nos aproximando, cada dia mais, dos metais frios e duros dos robôs que habitam as história de futuro que eu lia quando criança…

Estas eram as histórias mais aterrorizantes que lia, me arrepiava imaginar humanos totalmente racionais, evoluídos e inteligentes… Mas… Sem corações a palpitar por dentro! Sem a emoção e o sentimento que nos trazem a humildade de nos colocar no lugar do outro, de sentir as suas dores e alegrias, de compreender verdadeiramente e, assim, conseguir ajudar.

Vejo a humanidade a viver em seus casulos sem a deliciosa sensação (que eu conheço muito bem) da esperança de sair lá de dentro uma versão melhorada, mais colorida, vaporosa, feliz!

Que tristeza! 😔

Triteza para quem não sente como eu sinto! 😁

Daí eu lembro que não estou aqui para ser triste, embora me entristeça o que estamos vivendo, não descuro da característica que me define como a borboleta que sou!


Por piores que sejam os momentos que vivo nunca me esqueço que a vida é feita de um dia de cada vez, já estive trancada em alguns casulos que me afligiram mas a desesperança nunca morou lá dentro comigo, eu sempre soube, sempre sei que vou sair dali ainda mais feliz, ainda mais colorida, ainda mais humana.

Por isso, jamais, um Casulo será um mal lugar para estar, o crescimento faz parte deste processo e me sinto cada vez maior quando as asas secam e eu consigo voar…

E hoje, especificamente hoje 😁, senti as minhas asas bem secas e prontas para alçar vôos maiores e ainda mais rasantes e atrevidos.
Hoje uma alegria se apoderou de cada um dos meus poros me fazendo arrepiar de felicidade e confiança no futuro.
Hoje me senti livre e liberta de amarras negativas que me deixaram um pouco cinzenta durante uns anos.
Hoje me sinto completamente colorida… Tal e qual como a mãe borboleta de um livro infantil, uma personagem, mãe, pincelada nas cores mais vibrantes da minha paleta de aguarelas.


Hoje consegui me sentir inteira de novo, e feliz, e com muita vontade de dançar 😀.

Aos meus amigos e familiares que se preocupam comigo deixo aqui registada a noticia de que mais uma tempestade passou em minha vida, acordei de um sonho que se transformou em pesadelo e estou com aquela sensação deliciosa de missão cumprida. Sem as amarras e o desgosto de dever alguma coisa a alguém! Está tudo pago, e muito mais que pago! 😁

Agora é continuar a minha trajetoria que foi um pouco desviada, mas que agora toma a forma que sempre sonhei… Agora é continuar a ser feliz, torcendo para que as pessoas que têm me feito mal sejam beemmm felizes também 😀 Afinal, gente feliz não enche o saco 😂… E o universo trata de colocar as pessoas nos seus devidos lugares, e o meu lugar eu sempre soube, e nunca erro a morada: voando nos céus pintando nuvens com as cores do arco-íris.

Deixo então o meu beijinho de borboleta e o desejo sincero de que a cor rosa se transforme em atitude e que o ser humano consiga se desvencilhar rapidamente destas ‘armaduras’ contra o amor e o afeto! ❤️

Vera Ximenes

A liberdade é deliciosa! 💕🙏 GRATIDÃO

A Minha Estrela

Hoje sou eu que abro o meu livro e tento apaziguar a minha dor pela perda da minha querida avó… hoje sou eu que relembro que o tempo que estamos aqui é uma missão… hoje sou eu que procuro as cores vivas das páginas para encontrar o lado positivo de tudo…


… hoje sou eu que preciso ler nas entrelinhas de um conto, que as memórias ficam, mas só as memórias…o toque, o cheiro a voz que outrora me fazia pensar que nada era perigoso nesta vida estão agora em outro lugar, longe de mim…
Ali por perto daquela casinha amarela rodeada de frutos e flores a vida era vivida com a intensidade e a despreocupação de quem tem uma heroína ao lado, encostada na porta a escolher os feijões para o almoço… Tudo era vida, nada era perigoso, só porque a vovó estava sempre ali por perto…para curar os joelhos esfolados e os corações partidos…
Hoje sou eu que tento acalentar o meu coração com memórias fantásticas de uma vida fantástica vivida ao lado da vovó.

Hoje sou eu a aprender a transformar tristeza em saudade…

Hoje agradeço à vida longa e cheia de histórias espetaculares da minha avó, que foi a base de uma família gigante, carregada de gente linda e do bem… Gente firme na vida que não verga à frente das dificuldades.

Hoje agradeço ao universo por ter tido uma avó que sempre foi exemplo de Humano, com o H mais maiúsculo que houver nesta vida…

Agradeço, sobretudo, a forma serena que ela viveu os seus últimos dias, apesar do barulho e das luzes e dos aparelhos à sua volta, ela lutou pela vida até o último segundo, deu luta e não se deixou ir assim tão fácil…

Morreu velhinha, confortável numa caminha aquecida por uma mantinha e pelo amor dos seus dez filhos e dezenas de netos e bisnetos.

Hoje depois de ler este livro vou estar certa de que a vida é mesmo uma missão, e a da minha avó foi linda, longa e inspiradora… Depois vou olhar para o céu e ter a certeza de que a vovó será recebida pelo vovô com um abraço terno e que de lá os dois vão continuar nos amando e cuidando de nós.

Vou deixar as lágrimas caírem e ouvir reverberar em mim as palavras que tantas vezes ouvimos, saindo direto do coração para a boca com um poder que, com certeza foi o mote para uma vida longa e realizada:

“EU AMO A MINHA VIDA!”

Obrigada minha querida vovó!


Agora vai… Vai ser Estrelinha no céu, vai brilhar e descansar desta vida longa e cheia de aventuras que teve, vai continuar a olhar por nós de outro prisma❤️

Um beijo enorme no seu coração gigante… Amo-a profundamente para todo o sempre!…


Sua neta.

“Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas
mais que a dos mísseis.
Tenho em mim
esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância
de ser feliz por isso.
Meu quintal
É maior do que o mundo.”

Manoel de Barros

Encontros

Está semana encontrei a Cristina no Pingo Doce pertinho de casa, eu não conhecia a Cristina… ‘Desculpe… Ahn… Você é a Mãe Borboleta?’ 🙂 Tão querida… Reconheceu-me porque acompanhou a minha jornada em 2015, também vivendo o mesmo drama na … Continuar a ler

Um envelope…e toda a minha Gratidão!

Entre esquecer e lembrar, mesmo com a minha memória seletiva (isso dá muito jeito 😊💕) sigo lembrando, sem saudade, dos tempos difíceis que passaram por mim…

E quando há datas específicas que me fazem lembrar, obrigatoriamente, que sou uma doente oncológica ao invés de chamar em mim a tristeza de tempos de luta eu chamo a alegria de ser uma sobrevivente. As mazelas que ficam da briga com a doença me impedem de esquecer totalmente a minha condição, mas fico muito feliz em perceber que gradualmente algumas memórias vão se enfumaçando na minha memória…num degrade perfeitinho que começa com uma cor muito intensa e vai passando para um quase nada de cor…

Hoje é desses dias ‘especificos’ para lembrar da luta… hoje é dia de receber na memória o cheiro a canjinha que me enchia o quarto enquanto eu, nauseada, brigava com o meu corpo, querendo que ele acordasse para conseguir me alimentar, com o mínimo…

…o gosto amargo de químicos também vem visitar a memória, e o cheiro delicioso dos cabelos das minhas filhas trazem à lembrança a minha raiva, na altura, por sentir náuseas quando recebia delas os abracinhos mais calorosos….

O Dia Mundial de Luta Contra o Cancro celebra-se anualmente neste dia, 4 de fevereiro.

O objetivo do Dia Mundial de Luta Contra o Cancro é desmistificar algumas das ideias pré-concebidas sobre o cancro e informar sobre os fatos reais da doença.

O cancro continua a matar milhões de pessoas em todo o mundo!

Informar é o caminho mais seguro para convivermos com este mal, ainda inevitável…

Para mim, este é um dia de lembranças também…é curioso passear pela memória e verificar que bem pertinho desta data vão acontecendo coisas incrivelmente felizes na minha vida…desde entrevistas à lançamentos de livros, fatos importantes que marcam está data para mim.

Gosto de pensar que é o universo conspirando para se certificar de que eu ando a aproveitar bem o meu tempo enquanto sobrevivente 😃

E aqui confesso, caso o universo esteja a ler 😃 não há um dia na minha vida que eu diga: “que dia inútil! …não fiz nada!”

A intensidade dos meus dias deixam-me exausta no fim do dia, mas não há um dia sequer que eu não adormeça sorrindo…agradecida por mais um dia produtivo.

E para não fugir à regra, ao padrão imposto por este universo conspirador, cá estou eu, neste dia 4 de fevereiro, com borboletas no estômago, prestes a dar um passo largo numa estrada desconhecida mas lotada de cores e afetos, de intenções e vontades das melhores possíveis!

A SmArt Boom! Escola de Belas Artes, já é uma realidade! 😍

Este é um projeto que começou enquanto eu ainda lutava para permanecer viva, e quando a arte foi a protagonista mais eficaz num processo de renascimento profundo.

Este é um projeto de amor profundo e gratidão eterna…em analogia diria que estou colocando num envelope todas as cores e os afetos que existem dentro deste projeto, e estou enviando a este universo, que conspira ao meu favor…

Neste envelope escrevo:

A ARTE ME SALVOU!

Tirou-me da mesmal enquanto tudo a volta era cinzento…a arte permitiu-me viajar para um mundo saudável e colorido, quando eu saltava de cabeça para os quadros que pintava…

…e quando tudo a volta parecia o fim eu trocava a tela que estava a pintar e recomeçava a sonhar com dias melhores.

Uma Escola de Artes…😍 A menina dos meus olhos…

…esta foi a maneira que encontrei de agradecer à Arte, tudo o que ela fez por mim, dando às outras pessoas a mesma oportunidade de ser, sentir, crescer, renascer!

Através da Arte…

VIVA A ARTE!Viva!❤️

Feira do Livro 2017

Fica a Dica 😉💕

Encontramos lá!? 😉💕

Vovó Estrelinha – O Livro

  “Era uma vez uma avó especial. Era avó e era estrela. Tinha um poder singular, lia os corações das netas – «Eu gosto tanto,tanto de ti que até dói!». Entendia que era importante ser feliz desde a infância e … Continuar a ler

Passatempo Mãe Borboleta


Vai a fan page da Mãe Borboleta no facebook e veja como pode participar do passatempo para ganhar livros e pins personalizados 😉💕

Beijinhos de Borboleta!!!

A Dor é uma Ofensa

A dor parece uma ofensa à nossa integridade física Clarice Lispector Não senti-me sozinha, embora estive efetivamente sozinha durante muito tempo, ao longo do tratamento… Dar abertura aos amigos e familiares para que estes possam abraçar a nossa luta pela … Continuar a ler

Feira do Livro

Mãe Borboleta!

Que Dia feliz! 🙂

Biblioteca Escolar

No sentido de comemorar o Dia da Criança,  as crianças dos Jardins de Infância da Borralha, Castanheira  Giesteira, e Recardães deslocaram-se à BE da Escola Fernando Caldeira para um encontro com a escritora e ilustradora Vera Ximenes. Durante o encontro, a escritora apresentou a obra ” Mãe Borboleta” e referiu “Eu sou a Mãe Borboleta…ou melhor…neste momento sou a Mãe Lagarta, visto que ainda ando a transformar-me dentro do meu casulo.(…)”.

De seguida a escritora, também ilustradora, dinamizou um Workshop de ilustração que muito agradou os pequenos participantes.Apresentação1

View original post