…sobre o número dois


IMG_1872

…E lá se foi o número DOIS!

Fecha-se um ciclo para outro se abrir…e assim eu CONTINUO o ‘processo’ de renascer…

É hora de fazer um balanço, em jeito de ‘dar notícias’ 😉

ATERRADORA!

Não consegui encontrar uma palavra mais amena para descrever esta dose de Poção Mágica…Nem sei se conseguirei descrever tudo o que senti, só sei que senti e como senti… 🙂


Durante seis dias na cama, sem conseguir fazer nada, senti-me enroladinha dentro de um casulo…Os dias nasciam e envelheciam e eu continuava ali, guardada no meu casulo…

IMG_1855

Os efeitos desta vez foram realmente aterradores… senti-me sem energia, fraca, sonolenta, com dores nas articulações, palpitações tão fortes que me impediam, muitas vezes, de respirar…um enjoo… pro fun dooooo…As dores eram tantas, em tantos lugares do corpo que eu nem conseguia identificar o local específico, era generalizado…dores até nas unhas, no couro cabeludo, na pele…

Quantas vezes eu sofri recebendo abracinhos das minhas pequenas, cada abraço um sofrimento, tanta era a dor ao encostar-me em algo…mas o saldo sempre foi positivo, já que elas me enchiam o coração 🙂 …por isso nunca deixei de retribuir os abraços.

IMG_1854

Nestes dias de ‘reclusão’, passei tanto tempo comigo mesma (…dentro do meu quarto, dentro da minha cama, dentro de mim…) que uma reflexão sobre mim e sobre a minha vida, até aqui, foi inevitável; e nesta reflexão surgiu a palavra da vez: TRANSFORMAR.

‘Olhei’ para trás e descobri o quanto já me transformei, olhei para agora e percebi o quanto tudo isto tem me transformado, e consegui projetar no futuro uma pessoa ainda mais diferente…Nós somos seres naturalmente evolutivos, incompletos, em constante transformação, mas realmente só quem passa por este caminho consegue perceber quão transformadora pode ser esta experiência…tanta gente que passa a vida tentando se achar…eu estou sendo salva…

…Uma transformação de dentro pra fora e de fora pra dentro…As prioridades são outras, cada pormenor da minha existência passou a contar (aliás, os pormenores passaram a contar muito mais!), cada conquista, por menor que seja, conta…mesmo que seja conseguir engolir um alimento, e é muito difícil comer quando se está assim, mas é extremamente necessário.

Tantas vezes fui alimentada pelo Miki, qual um bebê, tanta era a minha debilidade, trêmula, frágil, tudo caia das mãos…E ele cuida-me tão bem…:) Me mima, me acarinha, me faz rir, diz todos os dias que sou linda…disse que “sou a lagartinha mais borboleta que ele já viu na vida…” 🙂 Apoixono-me, todos os dias…e ele por mim 😉

Os cabelinhos voaram com o vento, tal como contei na história que inventei da Mãe Borboleta, história que usei para ‘dar a notícia’ às minhas filhas.

…e transformada em lagartinha passei a não me reconhecer quando passava por um espelho, assustei-me algumas vezes 😀 Sem cabelo, inchada, os olhos sempre vidrados, a pele desbotada e amarelada…um fantasma de mim… mas de todos os meus sofrimentos, este é o menor deles…Apesar de ser vaidosa e de me sentir desconfortável com o ar de pesar das pessoas na rua quando me vêem a passear os meus lencinhos coloridos…

Estas pessoas não percebem que estou em processo de TRANSFORMAÇÃO :)…por isso sentem pena… se soubessem que encaro esta ‘empreitada’ como uma grande oportunidade! 😉

…E quando encontro alguém que ainda não sabe deste meu ‘processo’, lá vou eu consolar 🙂

 “…ah, sim, e tal…vai passar, tá passando…” 🙂
 Sorrio! Porque eu realmente não tenho motivos para estar triste 😉 E por conta disto já vi algumas interrogações na face de algumas pessoas que não entendem o meu ar ‘leve’ e o meu sorriso que teima em brilhar…afinal era suposto estar triste e revoltada com tudo isto(?)



Não! 😀 Prefiro gostar de estar me transformando…E sim…Vai passar e vou voltar a virar borboleta…

E por falar em borboletas…ahhhh…a primavera! 🙂

No sétimo dia depois do tratamento, logo de manhã – como todos os dias, o tilintar do telefone me despertou -os amigos e familiares (sempre comigo) a dizerem bons dias, a mandarem mensagem de fé, esperança, força…e neste dia recebi uma mensagem muito especial, de uma pessoa muito especial… foi ela que me despertou de novo pra vida:

“bom dia com alegria 🙂 a primavera está a chegar e o dia está lindo…”

Foi o mote para dar um ‘start’ no meu corpo…eu falei com cada pedaço de mim, tentei ‘acordar’ cada órgão, esforcei-me até ao meu limite e me arrastei…saí do casulo!

Desci as escadas devagar, trémula, tonta, envenenada…Fui até a janela da sala, fiquei cega com tanta luz, abri devagar os olhos e deixei aquelas cores todas entrarem em mim… 🙂

FELIZ…grata, em êxtase! O dia estava realmente lindo…e cheio de vida.


Passei a observar a vida que seguia lá fora, as pessoas passando para o trabalho, para o mercado, as crianças sendo levadas para as escolas…Ouvi os gritinhos felizes dos bebês na creche (morri de saudade :), senti o cheiro de pão acabadinho de sair do forno, senti a primavera chegar na sua plenitude, não sentia frio, apesar da janela aberta, o sol eriçou a minha pele…Senti-me completa, e com um sorriso nos lábios passei assim um bom tempo naquela manhã, agradecida por começar a acordar daquele ‘sono químico’.
A partir daí, vida relativamente normal…Gradualmente os efeitos foram se diluindo e pude degustar os meus dias, aproveitando cada pormenor deles…

Fui pra cozinha, apesar de não ser o meu lugar de eleição da casa 😛 …fiz Empadão de Frango (para o Miki) e a “lasanha da mamãe” que as fofinhas pediram 🙂 Recebi muitos elogios, fiquei orgulhosa!

Passei a fazer um ritual de beleza -pra mim! 😀 Me arrumei cuidadosamente todas as manhãs, para não encontrar mais o meu ‘fantasma de mim’ no espelho 🙂

Tentei trabalhar, preciso escrever um relatório técnico sobre o meu Projeto Pedagógico de Sala, e descobri que só consigo escrever com o coração, os químicos modificaram a minha capacidade intelectual, tenho a sensação que tenho só dois neurónios, e um deles está dormindo :P…tive que adiar esta tarefa…Faltou memória e concentração 😦

Com a Juju de férias (a melhor companhia de sempre!) brinquei…fiz-de-conta, me transformei com ela…fui cozinheira, princesa, filha, cliente, amiga…contei e ouvi histórias. E descobri tantas semelhanças! Além da aparência física… 🙂

À Gio dei a oportunidade de ‘estar de férias’ em casa, mas ela preferiu a badalação da semana de férias no ATL 😀 …uma moça! Foi a um jantar de convívio com os amigos, e ainda ‘ontem’ saiu da barriga 🙂 …E foi óptimo ir com elas a Feira de Março! 😀 Que delícia!

Voltei a fazer trancinhas nas fofas, devolvi-lhes a mãe dedicada e carinhosa que sou…

… e abracei-as! Milhares de vezes! 🙂 Encostando cada poro da minha pele nelas 🙂 …agora sem dores 😉

…e assim sigo…o caminho que escolhi…feliz…porque não estou sozinha!
Que venha o número TRÊS!

TRANSFORMAR
trans.for.mar

verbo transitivo

1. dar nova forma a; modificar; renovar; alterar
2. metamorfosear; transfigurar
3. regenerar; melhorar
4. variar
5. Desfigurar

verbo pronominal

1. mudar de forma
2. converter-se
3. disfarçar-se
4. tornar-se diferente
5. modificar-se; regenerar-se

 

Anúncios

One thought on “…sobre o número dois

  1. Pingback: Pormenores – A Chuva | Mãe Borboleta

Gostou? Comenta ;)

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s