Uma mãe suficientemente boa


Nasceu e agora?

O título pode parecer muito estranho. Como assim suficientemente boa? Uma mãe não procura ser o melhor possível? Essa não é a expectativa da maioria das mães?
Pois bem, uma pessoa fundamental no conhecimento sobre a importância do vínculo entre mãe e filho, trouxe este conceito de mãe suficientemente boa e ainda hoje é extremamente atual. Ele é nada mais e nada menos que Donald Winnicott (pediatra, psicanalista de crianças e importante pesquisador sobre desenvolvimento infantil).

O conceito de mãe suficientemente boa representa o tipo de vínculo afetivo que a criança precisa para desenvolver-se plenamente. E apesar de parecer estranho, este tipo de mãe não é perfeita.

Este tipo de mãe caracteriza-se por apresentar maior disponibilidade e capacidade de deixar de lado os seus interesses pessoais para concentrar-se no bebê. Esta situação lhe permite conhecer como ninguém o seu filho e saber precisamente o que fazer. Talvez pode parecer que…

View original post mais 431 palavras

Anúncios

Gostou? Comenta ;)

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s