Discursos de Lançamento – Drª Joana Mesquita (Psicóloga Clínica)

Memoria   Amar o perdido Deixa confundido Este coração.   Nada pode o olvido Contra o sem sentido Apelo do Não   As coisas tangíveis Tornam-se insensíveis À palma da mão.   Mas as coisas findas muito mais que lindas, … Continuar a ler

Pijamas, Sorrisos e Histórias

“…São histórias de luta e determinação escritas por quem acabou de nascer, e por quem, geralmente, não abre mão da vida -em nenhuma hipótese…brigam pela vida como gente grande, e aprendem cedo demais o significado da palavra SOFRIMENTO.” Continuar a ler

Uma Carta

Aqui está ele, o meu pai… Parece uma prenda do destino, fazer-me encontrar esta carta nos meus guardados antigos…hoje, dia 30 de Setembro de 2016, dez anos depois do fatídico dia em que meu pai se transformou para sempre. Eu … Continuar a ler

Colcha de Retalhos

colcha-de-retalhos

A vida é feita de pequenas e grandes histórias boas ou más…

…que costuradas umas às outras vão dando forma a pessoa que somos, que nos tornamos…somos uma colcha de retalhos que está sempre em construção…e o lindo de imaginar a vida assim é que não terminamos da mesma forma que começamos, estamos em constante transformação (ainda bem)… nós e tudo a nossa volta…

Hoje um dos pedacinhos da minha colcha completa dez anos…o pedaço que mexeu com a minha mesmal, transformando o meu interior profundamente…

Fez-me sentir os sentimentos mais ambíguos, dor e felicidade tudo junto e misturado…sem que eu soubesse que isso fosse sequer possível.

Há dez anos tomei a decisão mais difícil da minha vida, mas não hesitei…e num ato impulsivo, sentindo-me livre, honesta com os meus propósitos e objetivos, e liberta de qualquer paradigma, reuni toda a força que andava parada cá dentro, mexi-me por dentro, coloquei-me numa posição desconfortável decidindo assim o meu futuro…

Olhei para trás e não quis aquele cenário para o resto da minha vida, estava numa posição confortável, estava sendo reconhecida pelo meu trabalho, em visível ascensão pessoal e profissional, mas vivia dias vazios…sem objetivos grandiosos, sem amor…

Olhei para frente e, apesar de sentir medo do desconhecido, reconheci ali o cenário perfeito para a vida que sempre sonhei: uma vida plena de amor e dedicação ao lado da pessoa que eu escolhi para envelhecer ao lado…e só!

Era uma vida sem promessas, sem emprego, sem família, sem amigos…Um bilhete direto para nenhures e nada, um ‘planeta’ distante da minha casa com apenas um habitante e uma promessa: AMOR!

colcha-de-retalhos-50x60-350x291

E foi assim que tomei a decisão mais difícil da minha vida, troquei um tudo por um nada que pra mim era mais que TUDO!

Mergulhei de cabeça sem saber sequer se havia água em baixo…simplesmente deixei o meu coração guiar-me, confiando que ele sempre quererá o melhor para mim…

E hoje fazendo um balanço destes dez anos, olhando para esta minha colcha de retalhos, vejo que eu precisei trilhar este caminho, e realmente o meu coração, mais uma vez, não estava enganado…a minha colcha, agora muito maior, conta histórias de amor, de dedicação à família, de entrega, de recomeço, de aprendizagens, de tombos e desgostos necessários, de tristezas incontornáveis, de saudades que ardem sem parar, de dores que tive que aprender a conviver…Mas sobretudo, o que sobressai nesta colcha é o AMOR que costura todos os seus pedaços… Não há nada, nem sequer um pequeno pedaço desta colcha, que não esteja costurado com amor…porque eu jamais estarei onde não houver amor.

E relembrando aquele 26 de dezembro de 2005, impossível é conter as lágrimas…passeio pelas imagens daquele dia tão triste e tão feliz…revejo as despedidas da minha família, no aeroporto, sinto de novo os sentimentos que senti…vejo cada expressão da minha mãe, do meu pai, das minhas irmãs…cada um deles a reagir a sua maneira…

Frases soltas eu volto a ouvir daquele dia de despedidas, que enchem o meu coração de saudade, mas também de orgulho por não ter impedido que mais um pedaço desta colcha fosse costurado…

‘Vai ser feliz filha! Nós estaremos sempre aqui a sua espera…aconteça o que acontecer você é nossa…’ (meu pai)

‘Tenho orgulho de você maninha…’ (Vivi)

‘Tenho medo que nos esqueça…’ (Vaninha)

‘Voa minha sementinha, para longe da mamãe…’ (minha mãe)

Estas frases ecoam em mim desde sempre…A saudade e a nostalgia do ninho me acompanham nesta longa caminhada…Aprendi a conviver com o vazio que nunca conseguiu ser preenchido, ainda sinto-me parte da minha manada, apesar de estar longe da minha selva…

Vejo de longe o costurar das colchas das minhas irmãs, e cada vez que nos revemos, ganhamos uma nova ruga…ficamos satisfeitas por sentir o nosso amor incondicional, de longe…perdemos muito pelo caminho, mas permanecemos unidas apesar de tudo!

Sobre o Planeta com um habitante e um sentimento? Também mudou…

Hoje tenho um planeta rodeado de alegria! Fitas cor-de-rosa, bonecas e tartarugas espevitadas enfeitam os meus dias ao lado das pessoas mais importantes da minha vida…as minhas filhas chegaram para dar cor, odor e som aos meus dias…e todos os dias, entra, neste planeta, uma pessoa nova e especial…Já não me sinto sozinha, já não estou sozinha…construi ao meu redor um lugar de amor, cheio de pessoas especiais que me querem bem…

…onde a reciprocidade permeia cada pormenor destas relações de afeto…

Sinto-me feliz, realizada, capaz de multiplicar o amor que recebo agora…

Sinto-me satisfeita por ter dado, há dez anos, este grande passo rumo a felicidade…

Sinto-me apaixonada, como estive quando cá cheguei, pelo homem que o meu coração escolheu…

Sinto-me orgulhosa da minha história de vida, e espero estar aqui para contar o tamanho da minha colcha de retalhos passados mais dez anos desta vida que eu escolhi para mim…

Untitled

…continuo a cantar a música que foi a minha maior inspiração em dias de decisão…

https://youtu.be/RWzBgkOAJfc